Notícia

Câncer de próstata: teste mais eficaz para o Outlook


Avanço no diagnóstico de câncer de próstata?

Um novo tipo de teste que utiliza açúcares complexos parece ser capaz de identificar o câncer de próstata mais cedo e com maior precisão. Isso poderia levar a uma melhora na taxa de sobrevivência do câncer de próstata.

Um estudo recente da Universidade de Birmingham testou um teste que usa açúcar para diagnosticar precocemente o câncer de próstata. Os resultados do trabalho de pesquisa foram publicados na revista em inglês "Advanced Functional Materials".

Açúcar para diagnosticar câncer?

O novo teste funciona detectando açúcar (os chamados glicanos) no sangue. Esses açúcares estão ligados a moléculas de proteína, que também são chamadas de PSA. Já se sabe que o PSA muda quando o câncer está presente no corpo. Certos tipos de glicanos estão associados a vários tipos de câncer, mas até agora não havia tecnologia para detectar de forma confiável, rápida e suficientemente específica os glicanos, relatam os pesquisadores.

Novo teste detecta efetivamente glicanos

A equipe da Escola de Engenharia Química da Universidade de Birmingham agora desenvolveu uma técnica que pode detectar glicanos relacionados ao câncer com precisão sem precedentes. Esta nova tecnologia já foi patenteada.

Apenas quatro dos 56 glicanos estão associados ao câncer de próstata

O que é particularmente interessante no novo teste é a capacidade de localizar glicanos com uma especificidade muito alta. 56 açúcares diferentes podem ser ligados a uma molécula de PSA, mas apenas quatro deles estão associados ao câncer de próstata, relatam os pesquisadores. O novo teste permite que esses quatro açúcares sejam identificados com segurança. O número de glicanos identificados dessa maneira mostra não apenas se o câncer está presente, mas também quão agressivo ou avançado o câncer é.

Quão comuns são os resultados incorretos nos testes de câncer de próstata?

Um novo teste para o câncer de próstata é urgentemente necessário, pois os testes atuais são capazes apenas de fornecer uma indicação de um nível elevado de PSA em amostras de sangue. No entanto, isso pode levar a resultados falso-positivos em cerca de 50% dos casos. Isso ocorre porque o PSA de um homem pode aumentar por várias razões. O grupo de pesquisa explica, no entanto, que esses motivos não estão necessariamente relacionados ao câncer. Além disso, cerca de 25% dos homens com câncer de próstata não têm um nível elevado de PSA. O teste não pode diagnosticar a doença nessas pessoas.

Resultados errados levam a investigações desnecessárias

Muitos homens que se submetem ao teste de PSA obtêm um diagnóstico errado, o que significa que eles são enviados para testes adicionais e mais invasivos, que podem ser muito estressantes para os homens afetados e levar a altos custos de saúde.

Os glicanos permitem um diagnóstico mais preciso

É igualmente preocupante que muitos homens que sofrem de câncer de próstata tenham baixos níveis de PSA, o que não é fácil de determinar nos testes. Ao medir os glicanos, no entanto, diagnósticos muito mais precisos podem ser feitos. Não apenas o câncer pode ser reconhecido em um estágio inicial, mas também a agressividade do câncer.

A nova tecnologia também pode detectar câncer de ovário?

A equipe espera usar a tecnologia para diagnosticar outros tipos de câncer e já começou a desenvolver um teste de câncer de ovário. O câncer de ovário é tipicamente diagnosticado em um estágio muito tardio, o que significa que as opções de tratamento geralmente são muito limitadas e a taxa de sobrevida é, portanto, muito baixa, explicam os pesquisadores.

Conclusão do estudo

O diagnóstico precoce e preciso do câncer de próstata é fundamental para garantir que a doença possa ser tratada com sucesso. O novo teste permite um diagnóstico precoce e ajuda a avaliar a agressividade do câncer de próstata. Isso também permite tirar conclusões sobre quais pessoas precisam urgentemente de tratamento e para quem o câncer é menos agressivo, de modo que apenas uma observação pode ser necessária, relatam os pesquisadores. (Como)

Informações do autor e da fonte

Este texto corresponde aos requisitos da literatura médica, diretrizes médicas e estudos atuais e foi verificado por médicos.

Inchar:

  • Stefano Tommasone, Yazmin K. Tagger, Paula M. Mendes: visando oligossacarídeos e glicoconjugados usando andaimes de ligação superseletiva, em Advanced Functional Materials (publicado em 28 de maio de 2020), Advanced Functional Materials


Vídeo: Câncer de Próstata. Toque retal, PSA e tratamentos (Dezembro 2021).