Notícia

Detectar bactérias perigosas no sangue mais rapidamente


Perspectiva de maior proteção contra infecções fatais?

As bactérias no nosso sangue podem causar infecções e doenças mortais, por isso é importante identificar essas bactérias o mais rápido possível, para que possam ser tratadas eficazmente com medicamentos. Um dispositivo recém-desenvolvido é capaz de detectar bactérias perigosas no sangue de maneira rápida, fácil e eficaz.

No estudo atual do Instituto de Tecnologia de Rochester e da Universidade Rutgers - New Brunswick, os pesquisadores desenvolveram um novo dispositivo para detectar bactérias nocivas no sangue que podem causar infecções com risco de vida. Os resultados do trabalho de pesquisa foram publicados na revista em inglês "ACS Applied Materials & Interfaces".

Bactérias perigosas devem ser identificadas o mais rápido possível

Quando bactérias nocivas se acumulam no sangue humano, isso pode levar a infecções fatais. Isso torna particularmente importante que essas bactérias sejam identificadas o mais rápido possível, a fim de iniciar prontamente o tratamento urgentemente necessário. Para esse fim, os engenheiros desenvolveram um pequeno dispositivo que pode detectar rapidamente bactérias perigosas no sangue.

O medicamento certo aumenta a chance de sobrevivência

A identificação mais rápida possível de certas bactérias resistentes a medicamentos permite que o medicamento certo seja prescrito imediatamente, o que contribui para uma maior probabilidade de sobrevivência, relatam os pesquisadores.

Bactérias resistentes representam um grande perigo

Bactérias resistentes a medicamentos (às vezes chamadas de super patógenos) representam uma enorme ameaça à saúde pública.Anualmente, pelo menos 700.000 pessoas em todo o mundo morrem de infecções resistentes a medicamentos, incluindo 230.000 mortes por tuberculose multirresistente.

Dez milhões de mortes por ano por bactérias resistentes a medicamentos no futuro?

De acordo com um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2019, esse número pode até subir para dez milhões de mortes por ano até 2050, se nenhuma ação for tomada, relatam pesquisadores da Rutgers University - New Brunswick em um comunicado de imprensa.

Como o novo dispositivo funciona?

Com base em uma nova abordagem, o minúsculo novo dispositivo isola, remove e concentra rapidamente bactérias-alvo dos fluidos corporais. Ele filtra eficientemente partículas e bactérias e prende cerca de 86% delas. O nanodispositivo possui esferas magnéticas em diferentes tamanhos. Estes são projetados para concentrar e capturar bactérias Escherichia coli (E. coli). Os pequenos espaços entre essas contas são usados ​​para isolar as bactérias no dispositivo.

Pesquisas adicionais já estão em andamento

O dispositivo barato e transparente é fácil de fabricar e operar. Segundo o estudo, é ideal para a detecção de organismos causadores de doenças em laboratórios e instalações de saúde. O grupo de pesquisa está atualmente trabalhando no aperfeiçoamento do novo dispositivo. (Como)

Informação do autor e fonte

Este texto corresponde às especificações da literatura médica, diretrizes médicas e estudos atuais e foi verificado por médicos.

Inchar:

  • Xinye Chen, Abbi Miller, Shengting Cao, Yu Gan, Jie Zhang et al.: Rápida captura de Escherichia coli e recuperação de fluidos corporais por meio de um nanodispositivo tridimensional empilhado por esferas, em ACS Applied Materials & Interfaces (publicado em 15 de janeiro de 2020), Materiais e interfaces aplicados da ACS
  • Novo dispositivo detecta rapidamente bactérias nocivas no sangue, Rutgers University - New Brunswick, Rutgers University - New Brunswick
  • Novo relatório pede ações urgentes para evitar a crise de resistência antimicrobiana, Organização Mundial da Saúde (publicada em 29 de abril de 2019), OMS



Vídeo: Saiba como prevenir infecções causadas por bactérias (Janeiro 2022).