Notícia

Por que aumentamos de idade apesar de comer a mesma comida


O metabolismo da gordura diminui com a idade

Com a idade, muitas pessoas têm problemas para manter seu peso sob controle. Uma equipe de pesquisa sueca agora descobriu o porquê.

Pela primeira vez, pesquisadores do Instituto Karolinska sueco descobriram razões pelas quais as pessoas ganham peso mais rapidamente na velhice. Segundo o estudo, a renovação lipídica no tecido adiposo diminui à medida que envelhecemos. Isso facilita o ganho de peso, mesmo que a dieta e o exercício permaneçam os mesmos. Os resultados da pesquisa foram apresentados recentemente na renomada revista "Nature Medicine".

Idade como fator de risco para ganho de peso

Muitos estão familiarizados com o fenômeno: a barriga cresce e cresce, embora a dieta não tenha mudado. "Não costumava ser um problema", costumam pensar as pessoas. De fato, a idade em si parece ser um fator de risco para ganho de peso, como mostra um estudo recente.

Diminuição da renovação lipídica no tecido adiposo

Os pesquisadores observaram 54 homens e mulheres durante um período de cerca de 13 anos. Os cientistas examinavam regularmente as células adiposas dos sujeitos do teste. Independentemente de os participantes ganharem peso durante o período do estudo ou não, os pesquisadores descobriram uma diminuição na renovação lipídica no tecido adiposo em todos os participantes.

O que diz a renovação lipídica?

A rotatividade de lipídios é a taxa na qual a gordura (ou lipídio) é removida ou armazenada no corpo. Essa mudança no tecido adiposo parece ser responsável pelo ganho de peso mais rápido na velhice. Tudo indica que o corpo pode processar a gordura mais mal ou mais lentamente com o aumento da idade.

Menos calorias com a idade

Isso também se refletiu nos resultados da pesquisa. Aqueles que não mudaram de dieta com o aumento da idade aumentaram em média 20% nos 13 anos. Por outro lado, aqueles que reduziram sua ingestão de calorias ao longo dos anos foram capazes de manter seu peso.

Rotação lipídica na redução do estômago

Em outro teste, os pesquisadores examinaram 41 mulheres que sofreram redução gástrica por um período de quatro a sete anos. Pode-se observar que a perda de peso a longo prazo por redução gástrica foi mantida, principalmente em mulheres, que também aumentaram a renovação lipídica.

Como é possível aumentar a renovação lipídica?

Como relatam os pesquisadores, estudos anteriores já mostraram que uma maneira de acelerar a renovação lipídica no tecido adiposo é exercitar-se mais. A nova pesquisa confirma essa idéia e sugere ainda que o resultado a longo prazo da redução gástrica melhorará se o procedimento for combinado com o aumento da atividade física.

Novas abordagens terapêuticas contra a obesidade

"Os resultados mostram pela primeira vez que os processos em nosso tecido adiposo regulam as mudanças no peso corporal durante o envelhecimento, independentemente de outros fatores", explica o autor do estudo, professor Peter Arner. Isso abre novas maneiras de tratar a obesidade.

A obesidade está se tornando um problema global

"A obesidade e as complicações resultantes se tornaram um problema global", acrescentou Kirsty Spalding, da equipe de estudo. O entendimento sobre a dinâmica dos lipídios e a regulação da massa gorda nunca foi tão relevante como é hoje, diz Spalding. (vB)

Adequado para o tópico: Dieta: a hora do dia influencia o metabolismo da gordura e a sensibilidade à insulina.

Informação do autor e fonte

Este texto corresponde às especificações da literatura médica, diretrizes médicas e estudos atuais e foi verificado por médicos.

Editor de pós-graduação (FH) Volker Blasek

Inchar:

  • Peter Arner, Samuel Bernard, Kirsty Spalding, EUA: rotação lipídica adiposa e alterações de longo prazo no peso corporal, Nature Medicine, 2019, doi: 10.1038 / s41591-019-0565-5, nature.com
  • Karolinska Institutet: Novo estudo mostra por que as pessoas ganham peso à medida que envelhecem (acessado em 04.12.2019), news.ki.se


Vídeo: NUTRIÇÃO SAUDÁVEL É MUITO MAIS IMPORTANTE DO QUE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. SAIBA A DIFERENÇA (Janeiro 2022).