Notícia

Estudo: refrigerantes aumentam o risco de morte - não importa se contém açúcar ou "leve"


Já dois refrigerantes por dia aumentam massivamente o risco de morte

Um estudo recente mostrou que o consumo de refrigerantes aumenta significativamente o risco de morte. A investigação científica incluiu bebidas açucaradas e "leves".

Um estudo que analisou o consumo de refrigerantes em dez países europeus descobriu que esses refrigerantes estão associados a um maior risco de morte. "O consumo de refrigerantes adoçados artificialmente foi associado a mortes por doenças circulatórias, e os refrigerantes adoçados com açúcar foram associados a mortes por doenças digestivas", escrevem os autores do estudo na revista "JAMA Internal Medicine".

Consumo de refrigerantes por meio milhão de pessoas em dez países europeus

Conforme relatado no American Journal of Managed Care (AJMC), o grupo de estudo incluiu 451.743 homens e mulheres da Dinamarca, França, Alemanha, Grécia, Itália, Holanda, Noruega, Espanha, Suécia e Reino Unido. Os pesquisadores compararam aqueles que bebiam dois ou mais copos por dia com aqueles que consumiam menos de um copo por mês. 41.693 mortes ocorreram durante um seguimento médio de 16 anos.

Os dados são provenientes do atual estudo prospectivo europeu sobre câncer e nutrição (EPIC). Certos participantes foram excluídos. Por exemplo, aqueles que relataram câncer, doença cardíaca, derrame ou diabetes no início do estudo. E também aqueles para quem não havia informações sobre o consumo de refrigerantes ou doenças após o período de observação.

Maior mortalidade por todas as causas encontrada

Em média, os participantes tinham quase 51 anos e a maioria era do sexo feminino. Uma mortalidade geral mais alta foi encontrada entre os participantes que bebiam dois ou mais copos de refrigerantes adoçados com açúcar ou adoçados artificialmente. Os resultados mostraram um maior risco de morte por doenças circulatórias se dois ou mais copos de bebidas adoçadas artificialmente fossem bebidos por dia (mas nenhum adoçado com açúcar). Nas doenças digestivas, a mortalidade estava associada ao consumo de um ou mais copos de bebidas açucaradas por dia (mas não adoçadas artificialmente).

Não foi observada associação entre consumo de refrigerantes e morte por câncer. Mas os cientistas descobriram que beber um ou mais copos de refrigerantes por dia estava associado ao risco de morrer da doença de Parkinson. As bebidas não foram associadas à mortalidade de Alzheimer. Os autores disseram que este foi o primeiro estudo a vincular o consumo de refrigerantes à doença de Parkinson. No entanto, os especialistas apontam que essa relação deve ser examinada em mais detalhes.

Consumidores de refrigerantes tendem a ser mais jovens e fumar

Segundo os autores, os resultados apóiam os esforços de saúde pública para limitar o consumo de refrigerantes. O estudo atual seguiu um estudo publicado no início deste ano na revista JAMA, que constatou que os impostos sobre as vendas de refrigerantes na Filadélfia reduziram as vendas totais em 38%.

Segundo a informação, as pessoas que consumiram um grande número de refrigerantes eram geralmente mais jovens, fumavam e tinham maior probabilidade de serem fisicamente ativas. “Outros estudos nos EUA, como nós, descobriram que os consumidores de muitos refrigerantes tendem a ser mais jovens e atualmente estão fumando. Em contraste com esses estudos, descobrimos que é mais provável que esses consumidores sejam fisicamente ativos ”, disse o autor do estudo, Dr. Neil Murphy.

Embora o consumo de refrigerantes tenha sido associado a taxas mais altas de obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares nos Estados Unidos, até agora tem sido pouco estudado na população européia.

Substitua refrigerantes açucarados por água

“Dois grandes estudos foram publicados nos EUA no início deste ano, mas este é o primeiro grande estudo europeu a analisar essas relações. Nossa análise foi o maior estudo até o momento, usando dados de cerca de 450.000 homens e mulheres de dez países europeus. Descobrimos que consumir mais refrigerantes estava associado a um maior risco de morte, independentemente de bebidas açucaradas ou adoçadas artificialmente ”, disse Murphy.

No entanto, o cientista limitou: “Devido ao desenho da observação, somos incapazes de determinar as relações de causa e efeito de nosso estudo. No entanto, nossos resultados fornecem suporte adicional aos potenciais efeitos à saúde de refrigerantes açucarados e podem ajudar a substituí-los por outras bebidas saudáveis, de preferência água. Para refrigerantes adoçados artificialmente, agora precisamos entender melhor os mecanismos subjacentes a essa associação e, esperançosamente, estudos como o nosso estimularão esse esforço. ”

Segundo os pesquisadores, estimou-se que cerca de 184.000 mortes em todo o mundo em 2010 foram devidas a doenças cardiovasculares, câncer e diabetes tipo 2, o que foi associado ao consumo de refrigerantes açucarados. (de Anúncios)

Informação do autor e fonte

Este texto corresponde aos requisitos da literatura médica, diretrizes médicas e estudos atuais e foi verificado por médicos.

Inchar:

  • JAMA Internal Medicine: Associação entre consumo de refrigerantes e mortalidade em 10 países europeus, (acessado em 04.09.2019), JAMA Internal Medicine
  • American Journal of Managed Care: Grande estudo europeu vincula o consumo de refrigerante a um maior risco de mortalidade, incluindo Parkinson, (acesso: 04.09.2019), American Journal of Managed Care
  • JAMA: Associação de um imposto sobre bebidas adoçadas com açúcar e adoçadas artificialmente com alterações nos preços e nas vendas de bebidas em cadeias de varejo em um grande ambiente urbano (acessado em 04.09.2019), JAMA


Vídeo: COMO SABER SE SEU INTESTINO É SAUDÁVEL - Com Dr. Juliano Teles (Janeiro 2022).