Notícia

Pesquisa sobre câncer: proteínas transportam substâncias ativas para o tumor


Novidade no tratamento direcionado do câncer

A quimioterapia clássica é o único tratamento para muitos tipos de câncer, mas o problema com a terapia é que todo o corpo é afetado. Uma equipe de pesquisa alemã agora quer reduzir significativamente os efeitos colaterais drásticos desse tratamento contra o câncer, convertendo proteínas e anticorpos em transportadores estáveis ​​de remédios que entregam o medicamento diretamente na célula tumoral sem danificar outras células.

Pesquisadores do Instituto de Pesquisa Leibniz de Farmacologia Molecular (FMP) e da Universidade Ludwig Maximilians em Munique (LMU) alcançaram um novo marco no tratamento direcionado do câncer. A equipe desenvolveu uma nova tecnologia que permite que proteínas e anticorpos naturais sejam carregados com agentes medicinais ou fluorescentes. Esses transportadores devem então levar a carga diretamente para as células tumorais e matá-las ou marcá-las. Os resultados da pesquisa foram apresentados na revista “Angewandte Chemie”.

Quimioterapia: cura dolorosa

No tratamento clássico do câncer com quimioterapia, substâncias tóxicas são introduzidas no corpo. As células cancerosas que se dividem rapidamente são particularmente sensíveis a essas substâncias tóxicas e morrem mais rapidamente que os tecidos saudáveis. No entanto, essa terapia não permanece sem danos às células saudáveis, razão pela qual existem efeitos colaterais consideráveis. Além disso, a quimioterapia também não é adequada para todo tipo de câncer, já que em alguns casos a concentração tóxica necessária seria muito alta para ser tolerada por pessoas doentes.

O tratamento direcionado ao câncer visa substituir a quimioterapia

Por esse motivo, os cientistas estão pesquisando maneiras de fornecer substâncias ativas no corpo para o local de uso. Atualmente, existem cinco chamados conjugados de anticorpo-droga (ADCs) no mercado. Nesse método, os anticorpos são ligados a substâncias ativas que podem detectar células cancerígenas e, em seguida, usam a substância ativa de maneira direcionada. O problema, no entanto, é que os ADCs disponíveis frequentemente perdem sua carga antecipadamente e a liberam na corrente sanguínea.

Dose mais baixa e efeitos colaterais reduzidos

A equipe de pesquisa liderada pelo professor Christian Hackenberger e pelo professor Heinrich Leonhardt agora conseguiu atender ao pedido de transportadores de medicamentos mais estáveis ​​para o tratamento do câncer. Isso abre caminho para terapias contra o câncer com doses mais baixas e efeitos colaterais. "Desenvolvemos um novo tipo de tecnologia que permite a ligação de proteínas e anticorpos naturais a moléculas complexas, como corantes fluorescentes ou agentes medicinais, e é mais fácil e mais estável do que nunca", explica Marc-André Kasper, da equipe de pesquisa.

Moléculas de fósforo como transportadores estáveis ​​de medicamentos

Os pesquisadores descobriram que os compostos de fósforo não saturado (V) (fosfonamidatos) são ideais para esta tarefa. Estes fosfonamidatos são capazes de ligar ingredientes ativos ou outras substâncias desejadas através do raro aminoácido cisteína. Como a cisteína é raramente encontrada no corpo, a proteína pode ser controlada muito bem, de acordo com o estudo. Além disso, os ingredientes ativos eram muito fáceis de incorporar nas moléculas. "A maior conquista do novo método, no entanto, é que o vínculo resultante é estável durante a circulação no sangue", enfatiza Kasper. Os ADCs disponíveis hoje não puderam fazer isso.

Os testes iniciais mostraram resultados surpreendentes

A equipe de pesquisa comparou os novos transportadores de fósforo com o ADC Adcetris® já aprovado. No soro sanguíneo, os pesquisadores conseguiram documentar como os novos compostos de fósforo poderiam manter as substâncias ativas melhor por dias. Em experimentos com camundongos com linfoma de Hodgkin, os transportadores de drogas ligados ao fosfonamidato também se mostraram mais eficazes. "A tecnologia, portanto, tem um grande potencial para substituir métodos comuns, a fim de desenvolver ADCs mais eficazes e seguras no futuro", resume Christian Hackenberger, líder do grupo. Na próxima etapa, os novos transportadores de medicamentos serão testados em seres humanos. (vB)

Informação do autor e fonte

Este texto corresponde às especificações da literatura médica, diretrizes médicas e estudos atuais e foi verificado por médicos.

Editor de pós-graduação (FH) Volker Blasek

Inchar:

  • Instituto de Pesquisa Leibniz de Farmacologia Molecular Trazendo medicamentos contra o câncer com segurança ao seu destino (acessado em 08.08.2019), leibniz-fmp.de
  • Kasper, Marc - André / Glanz, Maria / Stengl, Andreas / EUA: cisteína - eletrófilos seletivos de fosfonamidato para bioconjugações modulares de proteínas, Angewandte Chemie International Edition, 2019, onlinelibrary.wiley.com
  • Kasper, Marc - André / Stengl, Andreas / Ochtrop, Philipp / et al.: Etinilfosfonamidatos para o rápido e a cisteína - geração seletiva de anticorpos eficazes - conjugados de medicamentos, Angewandte Chemie International Edition, 2019, onlinelibrary.wiley.com



Vídeo: Você sabe o que é Câncer Renal? (Janeiro 2022).