Notícia

Perder peso: cannabis como um novo remédio secreto para a obesidade

Perder peso: cannabis como um novo remédio secreto para a obesidade


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Os endocanabinóides do próprio corpo controlam nossa saciedade

Sinais entre o intestino e o cérebro controlam como, quando e quanto comemos. Os mecanismos moleculares que levam a essa transmissão de sinal estão atualmente sendo investigados com mais detalhes. Uma equipe de pesquisa americana mostrou agora que uma dieta rica em gordura e açúcar leva a uma interrupção nessa transmissão e que os endocanabinóides do corpo estão envolvidos na transmissão do sinal. A equipe acredita que a maconha é uma maneira eficaz de combater a obesidade.

Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia, em Riverside, descobriram em um estudo de nutrição em ratos que sinais endocanabinóides hiperativos no intestino bloqueiam a sensação de saciedade no cérebro. A superativação foi desencadeada por uma dieta energética rica em gordura e açúcar. A equipe de pesquisa agora quer investigar se o ingrediente ativo da cannabis tetrahidrocanabinol (THC) é adequado para acalmar os sinais hiperativos. Os resultados do estudo foram apresentados recentemente na revista especializada "borderiers in Physiology".

O sistema endocanabinóide ainda é amplamente inexplorado

O sistema endocanabinóide faz parte do sistema nervoso humano. O nome vem da planta de cannabis, cujos ingredientes ativos levaram à descoberta do sistema em seres humanos. A função exata do sistema ainda não foi finalmente esclarecida. Sabe-se que o sistema endocanabinóide está envolvido em inúmeros processos fisiológicos, como, por exemplo, sensação de dor, indução do sono, apetite, controle de temperatura e regulação do sistema imunológico. A equipe de pesquisa da Califórnia analisou o impacto dos endocanabinóides na digestão em seu estudo e descobriu que eles desempenham um papel fundamental na saciedade.

Como a gordura e o açúcar bloqueiam a saciedade

Por 60 dias, os pesquisadores alimentaram ratos com alimentos ricos em gordura e açúcar, o que é típico da dieta ocidental. Eles examinaram se há mudanças nos sinais físicos. Foi demonstrado que os endocanabinóides do próprio corpo no intestino eram excessivamente ativados pela ingestão de alta energia. Isso levou a uma inibição do hormônio colecistocinina, que desencadeia saciedade no cérebro. Os camundongos mostraram uma sensação reduzida de saciedade e ingeriram muito, o que acabou levando ao excesso de peso.

Nova abordagem para combater a obesidade

"Se houvesse uma droga que removesse a inibição de peptídeos de saciedade em alimentos com alto e alto teor de gordura, seríamos um grande passo em frente no combate à obesidade", explica o cientista biomédico Nicholas V. DiPatrizio, que chefia a equipe de pesquisa. O grupo agora quer entender melhor como certos componentes da dieta ocidental levam à desregulação do sistema endocanabinóide e à transmissão do sinal intestinal.

A maconha pode prevenir a obesidade?

DiPatrizio relata que o uso de maconha leva a um aumento do apetite a curto prazo. Paradoxalmente, o consumo de cannabis a longo prazo está associado a uma diminuição no peso corporal. Segundo os pesquisadores, os usuários de cannabis a longo prazo mostraram parâmetros metabólicos aprimorados, como uma densidade mais alta de HDL, que é frequentemente chamada de "bom colesterol". A equipe de DiPatrizio agora quer investigar se o uso prolongado de cannabis melhora a saúde metabólica. "Também investigaremos como a maconha afeta a manutenção do açúcar no sangue", disse o especialista em um comunicado à imprensa. O governo americano demonstrou grande interesse nos resultados e está financiando os próximos estudos com US $ 744.000. (vB)

Informação do autor e fonte

Este texto corresponde às especificações da literatura médica, diretrizes médicas e estudos atuais e foi verificado por médicos.

Editor de pós-graduação (FH) Volker Blasek



Vídeo: Programa Filosofando 20122019 (Pode 2022).