Notícia

Prevenir a doença de Alzheimer através da melhoria da higiene bucal?


Um novo ingrediente ativo em higiene bucal protege contra a doença de Alzheimer?

Será possível no futuro próximo tratar a doença de Alzheimer com chiclete ou pastilhas? Os pesquisadores desenvolveram um ingrediente ativo que é tomado por via oral e bloqueia toxinas perigosas. Estes últimos já foram associados a proteínas que causam demência.

Um estudo recente da Faculdade de Odontologia da Universidade de Louisville descobriu que, com a ajuda de uma toxina especial da goma de mascar, pode ser bloqueada, o que aparentemente está associado à demência. Os resultados do estudo foram publicados na revista científica "Science Advances".

COR388 impede que as gengivas se espalhem

Para o estudo, o tecido cerebral de pessoas que tiveram demência quando morreram foi examinado. Podem ser determinados valores mais altos da bactéria Porphyromonas gingivalis, que podem ser reconhecidos pelo DNA da bactéria e por toxinas, conhecidas como gingipain. Testes em ratos mostraram que as gengivas podem ir da boca ao cérebro. O medicamento COR388 pode impedir que se espalhe. As chamadas gengivinas parecem promover a produção de proteínas conhecidas como beta amilóide e tau. Essas proteínas danificam as células do cérebro e afetam a memória.

A higiene bucal é muito importante

Os pesquisadores também descobriram que P. gingivalis tem um papel na artrite reumatóide e na pneumonia por aspiração. Esta doença é causada pela inalação de alimentos ou saliva. A higiene bucal é muito importante para toda a vida, não apenas para um sorriso bonito, mas também para reduzir o risco de muitas doenças graves. Pessoas com fatores de risco genéticos que os tornam suscetíveis à artrite reumatóide ou à doença de Alzheimer devem prestar atenção à prevenção de doenças gengivais, explicam os autores em um comunicado à imprensa.

Outras pesquisas já estão sendo planejadas

O COR388 foi desenvolvido pela empresa americana Cortexyme, Inc., especializada em medicamentos para doenças neurológicas. Um estudo com 570 pacientes com doença de Alzheimer leve a moderada começará nas próximas semanas. Os resultados são esperados para 2021. Também estão em andamento outros compostos que também combatem P. gingivalis. As principais toxinas do gengival, as enzimas que a bactéria precisa para prejudicar o corpo, são bons alvos para novas intervenções médicas em potencial para combater uma variedade de doenças. Cerca de uma em cada cinco pessoas com menos de 30 anos tem um baixo nível de P. gingivalis nas gengivas. Quando essas bactérias se espalham, o sistema imunológico responde, causando vermelhidão, inchaço, sangramento e perda de tecido gengival.

Escove os dentes regularmente e use fio dental

A melhor maneira de impedir que o P. gingivalis fique fora de controle é escovar os dentes regularmente, usar fio dental e visitar um higienista dental pelo menos uma vez por ano, relatam os pesquisadores. Os idosos e os fumantes têm um risco aumentado de infecção, mas acredita-se também que fatores genéticos desempenham um papel, continuou a equipe de pesquisa. Agora são necessárias mais pesquisas para desenvolver uma melhor compreensão dos efeitos de P. gingivalis e possíveis contramedidas. (Como)

Informação do autor e fonte



Vídeo: Cuidado de la salud bucal en pacientes con Parkinson (Janeiro 2022).