Notícia

Células zumbis influenciam o desenvolvimento de demência


Como as células mortas afetam o desenvolvimento da demência?

Mais e mais pessoas ao redor do mundo sofrem de demência. Os pesquisadores descobriram agora que as chamadas células zumbis disfuncionais no cérebro estão ligadas à demência. Essa descoberta pode ajudar a pavimentar o caminho para uma possível cura para a doença degenerativa.

Os pesquisadores da Clínica Mayo, em Rochester, descobriram que certas células disfuncionais no cérebro parecem estar envolvidas no desenvolvimento de demência. Os médicos publicaram os resultados de seu estudo na revista de língua inglesa "Nature".

O comprometimento das células gliais leva à morte de neurônios

Sabe-se que as células mortas que perderam a capacidade de se dividir se acumulam no corpo com o aumento da idade e emitem sinais químicos lá, que então influenciam a ação de outras células próximas, explicam os especialistas. No entanto, os mais recentes estudos dos pesquisadores da Clínica Mayo, liderados pelo autor do estudo, Tyler Bussian, mostraram que, quando essas células se acumulam no cérebro, não são os neurônios, mas as células gliais circundantes que são afetadas. Isso torna impossível a sobrevivência dos nêutrons.

A pesquisa foi realizada em ratos

Camundongos geneticamente modificados foram usados ​​para o estudo. Estes eram mais suscetíveis à degeneração neural e ofereciam a oportunidade de testar a destruição direcionada das células em envelhecimento (células zumbis). Os médicos descobriram que impedir a formação dessas células reduzia a formação de proteínas tau. Essas proteínas estão intimamente ligadas ao desenvolvimento da doença de Alzheimer.

As células do envelhecimento promovem neurodegeneração

A degeneração impedida de neurônios em regiões do cérebro, conhecidas por processos cognitivos, levou a uma perda de memória reduzida nos animais. Isso sugere que o envelhecimento das células pode promover a neurodegeneração, dizem os especialistas. Os resultados podem abrir novas perspectivas para o diagnóstico e terapia de doenças neurodegenerativas, incluindo a doença de Alzheimer.

As células senescentes contribuem para doenças relacionadas à idade?

A noção de que a construção de células senescentes pode contribuir para doenças relacionadas à idade, como demência e doenças cardiovasculares, agora está ganhando espaço na comunidade científica. No entanto, como o estudo utilizou ratos modificados, os resultados em humanos podem não ser tão fáceis de reproduzir.

Demência e Alzheimer?

O estudo levanta a possibilidade de que a prevenção do acúmulo de células senescentes possa formar a base para a cura da doença de Alzheimer em humanos. Embora os dois termos Alzheimer e demência sejam frequentemente usados ​​de forma intercambiável, o Alzheimer é apenas uma das formas possíveis de demência. Na doença de Alzheimer, os neurônios são inicialmente perdidos no cérebro, o que afeta a memória e a capacidade de aprender. A capacidade dos pacientes de lidar com tarefas cotidianas, como dirigir, cozinhar e fazer compras, está cada vez mais perdida. (Como)

Informações do autor e da fonte



Vídeo: Hábito de Automedicação: Quais os Riscos? - Profª Rayanni Campos (Janeiro 2022).